A ação estética do Sal na pele para a saúde e beleza

 em Artigos

A palavra sal não descreve apenas uma substância. Na química é um termo genérico para toda a família de substâncias. (Nome técnico: um sal é a reação de um produto entre um ácido e uma base. O cloreto de sódio por exemplo, é o resultado da reação do ácido clorídrico com a base hidróxido de sódio.) (Wolke, R. L. p2)

O termo “sal” na química diz respeito aos compostos capazes de se dissociarem na água liberando íons, mesmo que em pequena porcentagem, dos quais pelo menos um cátion é diferente de H3O+ e pelo menos um ânion é diferente de OH- . Com base nesta definição, o cloreto de sódio é um sal. Contudo, o sal de cozinha não é um “sal”. Pois o sal de cozinha não é constituído apenas por cloreto de sódio, mas também, segundo a lei brasileira, deve ter um teor igual ou superior a 40 miligramas até o limite máximo de 100 miligramas de iodo por quilograma de cloreto de sódio. (Chemello, E. p6)

Os sais refinados, após a extração, passam por uma lavagem, são moídos, centrifugados e após, secos em altas temperaturas. Em seguida, as impurezas são extraídas por peneiração e são adicionados compostos antiumectantes a fim de torná-lo bem solto, além de uma dose de iodato de potássio, exigido pela legislação brasileira, para prevenir o bócio, uma doença que ocorre na tireoide em função da diminuição ou ausência de iodo no organismo. O sal grosso sofre um processo de recristalização mais lento, o que explica a formação de cristais maiores. A denominação “sal marinho” nem sempre quer dizer que ele saiu do mar, mas também que não passou por nenhum procedimento de refinação, somente a adição de iodo. Um fato interessante é a valorização pelos chefs da chamada “flor de sal”, uma camada fina de cristais que se forma na superfície das salinas, a qual dizem ter um sabor inigualável. (Chemello, E. p15)

O “sal” possui uma excelente interação física com a água quente ou morna, pois a mesma aumenta a sua solubilidade e por consequência a condução elétrica, fator que possibilita a ação do “sal” no organismo humano, para troca metabólicas, uma vez que o sódio é um importante controlador da entrada e saída de substancias no através das membranas celulares.  

Na estética o “sal” é utilizado em procedimentos com bandagens umedecidas com água quente ou morna devido a sua ação lipolítica em tratamentos desintoxicante, redução de medidas e celulite. Na maioria dos casos o “sal” usado na estética vem acompanhado de outros princípios ativos que proporcionam maior permeabilidade na membra celular e interação no organismo.

Ao contrário da crioterapia, essa bandagem age pelo calor. Consiste na aplicação de faixas embebidas em uma solução que mistura água quente, sal feito com cristais de enzimas e iodeto de potássio. São enfaixados os quadris, coxas, cintura e outras regiões do corpo com celulite. O calor tem a função de aumentar o metabolismo das células gordurosas, de modo que esse tratamento é indicado como coadjuvante para eliminar gordura localizada. Como a gordura em excesso prejudica o quadro de celulite, esse tratamento promove melhora no aspecto da pele. (Golik V. p21-22)

A talassoterapia baseia-se na teoria de que a vida iniciou-se no mar e que os seres humanos dependem basicamente do equilíbrio mineral no seu plasma cuja composição hoje é semelhante a composição da água do mar há milhões de anos. As compressas de sal quente são particularmente úteis contra dores de cabeça e cólicas de todos os tipos (a teoria da talassoterapia explica que esses efeitos deve-se as vibrações dos cristais do sal puro, capaz de ajustar a energia orgânica alterada). (Rômulo B. Rodrigues & Márcia Klein)

Thalassa é uma palavra grega que significa “mar”. A talassoterapia explora a ação de substância contidas em grande quantidade na água marinha, os oligoementos. As principais são o sódio, o iodo, o cálcio e o magnésio, que podem penetrar na pele sob temperatura em torno de 37ºC. Em cabine de estética as bandagens são umedecidas em uma solução de água quente e sal, este preparado cosmeticamente com os oligoelementos essenciais reproduzindo-se assim os princípios ativos da água do mar (Golik, V. p23)

A talassoterapia melhora o intercambio dos líquidos dos tecidos com as células e estimula processos enzimáticos, beneficiando casos de celulite. Além disso melhora a hidratação da pele, pois o pH da pele é parecido com a substância aplicada. Depois de enfaixar as regiões afetadas, deve-se aquecer o organismo com cobertores ou lençol térmico. (Golik V. p23)

A Tecnologia Cosmética disponibiliza a alquimia elaborada de ingredientes ativos capazes de potencializar os tratamentos estéticos, destacam-se o Cloreto de Sódio, Ginkgo biloba, o iodeto de potássio e o magnésio.

Ginkgo biloba é nutritivo, antioxidante e oxigenante (Oliveira, A. L. p 44)

As algas marinhas constituem um agente de primeira ordem na talassoterapia. As algas podem ser empregadas frescas secas ou em pó (pó de fucus digitat´s – laminária ou mucilagem do fucus), que se junta ao banho de mar quente. (Geológicos, P. D. G. de M. S. p 81,87)

O iodeto de potássio contribui para regular a quantidade de iodo na glândula tiróide. O iodo é um elemento essencial para a síntese de hormonas tiróides, tiroxina (T4) e triiodotironina (T3). As hormonas tiróides são importantes para o metabolismo da maior parte das células do organismo, estão envolvidas em inúmeros processos, por exemplo, são fundamentais para o crescimento, desenvolvimento ou a produção de calor. (Wiki, Y. p1) 

O magnésio é um mineral necessário em diversos processos e reações do organismo, como no uso dos músculos, respiração e até uso do cérebro. Tamanha importância se deve ao fato do magnésio se relacionar com a produção de energia das células. Por isso sua deficiência pode trazer muitas consequências ao corpo, como constipação, problemas no controle da glicemia, problemas cardiovasculares e até mesmo no sistema nervoso. (AYRES, N. p1)

No entanto, é possível visualizar o quanto é positivo a ação do sal na pele para a reposição de nutrientes essenciais, equilíbrio hídrico, saúde e longevidade celular. As atividades do sal no tecido contribuem para o rejuvenescimento e beleza da pele.

Referências Bibliográficas:

AYRES, N. Cloreto de magnésio: 5 benefícios do mineral e como tomar. São Paulo- SP, Editora redação minha vida. Disponível: https://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/21399-cloreto-de-magnesio > Acessado em: 19/02/2020

CHEMELLO, E. A Química na Cozinha apresenta: O Sal. São Paulo – SP, Editora Cia da Escola, 1ed, vol.2, 2005.

GEOLÓGICOS, P. D. G. M. S. Boletim de minas, Volume 20. São Paulo – SP, Editora  A Direcção, 2017. Disponível: < https://books.google.com.br/books?id=6f-AY_NkfrYC&dq=talassoterapia%20fucus&hl=pt-BR&source=gbs_book_other_versions > Acessado em: 07/02/2020

GOLIK, V. Tudo o que você precisa saber para vencer a celulite e ficar de bem com o seu corpo. São Paulo – SP, Editora Senac, 2ed, 2019.

OLIVEIRA, A. L. De esteticista para esteticista: diversificando os protocolos faciais e corporais usados na área da estética. São Paulo – SP, Editora Matrix, 1ed, 2014.

PEREZ, E; VASCONCELOS, M. G Técnicas Estéticas Corporais. São Paulo – SP, Editora Saraiva, 1ed, 2014.

RODRIGUES, R.  B; KLEIN, M. Guia Completo Das Terapias Alternativas: métodos terapêuticos naturais que proporcionam saúde integral. São Paulo – SP, Editora Clube de autores, 1ed, 2016.

THOMPSON, J. E; LAWRENCE W. D.  A prática farmacêutica na manipulação de medicamentos. Porto Alegre- RS, Editora Artmed, 3ed, 2013.

Wiki, Y.  Para que serve iodeto de potássio? Benefícios e propriedades. São Paulo – SP, blog.nutritienda, 2010. Disponível: Disponível: < https://blog.nutritienda.com/pt/yoduro-de-potasio/> Acessado em: 19/02/2020

WOLKE, R. L.  A ciência na cozinha: sal. São Paulo – SP, Editora Expresso Zahar, 1ed, 2014.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar