Estrias OFF: Estratégia Biotecnológica de Excelência no Tratamento de peles estriadas.

 em Artigos, Atualize-se

A estria é uma atrofia apresentada na pele, que é causada devido a redução da atividade dos fibroblastos resultando em uma produção de fibras de sustentação e matriz extracelular de má qualidade, além disso, outro motivo bem importante é a falta de hidratação tecidual, pois uma pele desidratada, tem uma predisposição ao surgimento de estrias. As estrias é uma alteração que acomete tanto homens quanto mulheres e podem ser definidas como um processo degenerativo cutâneo, benigno, lineares, paralelas e que variam de cor conforme sua fase evolutiva, sendo classificadas como:

Estrias Iniciais: com processo inflamatório e tonalidade rosada, uma vez que é causa pela distensão intensa das fibras elásticas.

Estrias Atróficas: possuem processo cicatricial, linha flácida no centro e hipocrômica. As fibras elásticas entrelaçadas e outras rompidas. A estrutura do colágeno está desordenada e os anexos da pele encontram-se conservados.

Estrias Nacaradas: apresentam flacidez central, recobertas por epitélio pregueado, sendo desprovidas de anexos cutâneos, fibras elásticas rompidas e as lesões sendo evoluídas para fibrose.

Evoluem clinicamente em estágios semelhantes a formação de uma cicatriz, com lesões ativas, eritema, nenhuma depressão aparente, originada por diversos fatores, porém existem teorias que tentam justificar a etiologia das estrias. Segundo Guirro e Guirro (2002), existem três teorias, sendo elas:

  • Teoria Mecânica: Ocorre quando a pele é acometida por um estiramento, ruptura ou perda das fibras elásticas, decorrente de um excessivo depósito de gordura nas células adiposas, especialmente no momento em que surgem repentinamente, como no caso da gravidez, crescimento na adolescência, bem como obesidade.
  • Teoria Endrocnológica: Com o advento do uso terapêutico de hormônios adrenais corticiais ou por uso indiscriminado de anabolizantes, distúrbios nutricionais bioquímicos, distúrbios hormonais, estão relacionados ao surgimento de estrias em algumas regiões do corpo.
  • Teoria Infecciosa: Existem relatos que os processos infecciosos provocam danos às fibras elásticas originando estrias. Segundo Kede e Sabatovich (2004), notou-se o aparecimento de estrias em jovens após febre tifoide, reumática e outras infecções hapatopatias crônicas, hepatite crônica, Síndrome de Marfan.

Além das teorias, existem alguns fatores que contribuem para acelerar o processo, como:

  • Fumo
  • Sedentarismo
  • Genética
  • Disturbios hormonais
  • Gravidez
  • Ganho e perda de peso com frequência (efeito sanfona)
  • Alimentação inadequada
  • Falta de hidratação

As estrias são consideras na maioria das literaturas irreversíveis, porém, atualmente existem diversos tratamentos estéticos e dermatológicos que auxiliam na melhora ou até mesmo no desaparecimento das lesões.

No mercado estético, encontramos essa gama de opções através dos equipamentos como o eletrolifting com e sem agulha, microagulhamento, radiofrequência fracionada, LED, Laser e além disso, é de suma importância associar cosméticos de alta tecnologia para que o resultado seja cada vez mais satisfatório.

Abaixo listamos alguns ativos essenciais que auxiliam no processo de regeneração tecidual da estria, aumentando a firmeza, elasticidade, melhorando o aspecto do tecido e até devolvendo a coloração normal, em alguns casos:

Argila amarela: É um material natural de origem mineral com partículas extremamente finas de silicatos, além de oligoelementos diversos. Este silicato complexo pode conter diferentes tipos de metais, tais como: Titânio, Magnésio, Cobre, Zinco, Alumínio, Cálcio, Potássio, Níquel, Manganês, Lítio, Sódio e Ferro.

A Argila amarela por ser rica em Silício e Potássio, exerce o papel determinante na nutrição e na reconstituição celular, retardando e contribuindo desta maneira para o envelhecimento cutâneo.

Colágeno: O colágeno é uma proteína estrutural básica encontrada exclusivamente em animais, constituindo aproximada¬mente 30% da proteína animal. É considerado um com¬ponente essencial da formação dos tecidos e sistema es¬quelético, sendo encontrado como constituinte da pele, tendões, cartilagens, ossos e tecido conectivo. O coláge¬no in vivo, geralmente é branco, opaco, com fibrilas não ramificadas, embebidas em uma matriz de mucopolissa¬carídeos e outras proteínas. As moléculas do colágeno in vivo são constituídas por três cadeias, arranjadas de tal forma que 95% correspondem a uma tripla hélice e a quantidade encontrada em cada animal depende do tipo de tecido e da idade do animal em questão. O Colágeno é naturalmente composto por 18 aminoácidos essenciais para a manutenção do equilíbrio fisiológico da pele e dos cabelos, sendo eles: Alanina, Arginina ,Ácido aspártico, Ácido glutâmico, Glicina, Histidina, Hidroxilisina, Hydroxiprolina, Isoleucina, Leucina, Lisina, Metionina, Fenilalanina, Prolina , Serina, Treonina, Tirosina e Valina, portanto, é indicado, quando aplicado topicamente, como agente de performance em condicionamento, maciez e suavidade nos cabelos, além de manter a hidratação da pele , colaborando com aumento da quantidade de água da epiderme e auxiliando na diminuição das rugas finas. Utilizado pela Bel Col desde seu nascimento e hoje em 90% da linha, é a matéria prima considerada essencial para combater o rejuvenescimento resultando na melhora da firmeza, elasticidade e redução dos sinais do envelhecimento como rugas e linhas de expressão, deixando a pele com o aspecto saudável e jovem.

Blend biomimético de 8 aminoácidos da pele: Considerado um coquetel altamente hidratante, foi tecnologicamente formulado a partir da mimetização de 8 aminoácidos + PCA presentes na composição do NMF cutâneo (Natural Moisturizing Factor – Fator de Hidratação Natural), fundamental no controle e manutenção da hidratação e nutrição da pele. Possui benefícios dermatológicos comprovados, como aumento da hidratação, diminuição da perda de água transepidérmica e redução de rugas.

D – Pantenol (Pró Vitamina B5): O D-Pantenol é um álcool biologicamente ativo análogo do Ácido pantotênico, do grupo das vitaminas do Complexo B, que está normalmente presente na pele e cabelo. O Pantenol existe em duas formas, o D-PANTENOL, isômero dextro-rotatório ou a forma racêmica, DL-Pantenol. Quando aplicado topicamente, na pele ou cabelo, o Pantenol é convertido a Ácido pantotênico, constituinte da Coenzima A, que atua como carreadora nas reações de acetilação do Ciclo de Krebs. O “acetato ativado” formado na reação do acetato com a Coenzima A é essencial na síntese de lipídios e proteínas, sendo, portanto, de grande importância à pele. Desenvolve um efeito eutrófico dérmico e cicatrizante aumentando a resistência das fibras colágenas.É um ativo imprescindível para o funcionamento normal dos tecidos epiteliais e processos de regeneração celular. Sua deficiência resulta em várias desordens fisiológicas e dermatológicas, como cornificação, despigmentação e descamação. Em produtos skin care, PANTENOL D (PRO VITAMINA B5) não é irritante, não é sensibilizante. Sua propriedade umectante é rápida e de ação profunda, não apresentando aspecto gorduroso ou pegajoso. A pró-vitamina B5 estimula a proliferação celular e auxilia na reparação de tecidos lesados, como queimaduras (inclusive solares), dermatites, além de promover a queratinização normal e cicatrização de feridas.

Propanediol: O propanediol é um produto natural, derivada da glucose do milho, amigo da pele, alternativa conservadora de glicóis à base de petróleo e glicerina para formuladores que desejam versátil e ingredientes cosméticos inovadores. É ideal para diferentes aplicações de cuidados com a pele e com o corpo, incluindo hidratantes, produtos de limpeza, produtos anti-envelhecimento, protetores solares, produtos anti-acne, pele sensível produtos, desodorantes, lenços e cuidados com o bebê. Desempenho umectante de alta performance, não irrita a pele, hidratação duradoura e alta solubilidade.

Vitamina E: Considerada essencial para a estabilidade das membranas biológicas, principalmente as mais ricas em ácidos graxos poli-insaturados, sendo assim é um agente com alta capacidade antioxidante, pois interfere o metabolismo intermediário protegendo os constituintes celulares contra a oxidação. Essa interação é considerada importante na prevenção do envelhecimento tissular, uma vez que a oxidação lipídica também atua no envelhecimento. É possível citar outros benefícios relacionados à vitamina E, dentre eles a melhora da hidratação associada com seu alto poder anti-inflamatório.

Glicoproteínas e Polissacarídeos da soja: Promovem aumento do colágeno I, GAGs e fibrilina -1, favorece ainda a reorganização MEC, conferindo firmeza e tônus. Tem características similares às Glicoproteínas estruturais dérmicas agindo biomimeticamente e sendo capazes de regular as interações entre vários componentes dérmicos, facilitando a ligação dos fibroblastos às fibras colágenas.

DMAE: O DMAE é uma substância precursora da Acetilcolina, extraído de peixes como anchova, sardinha e salmão, utilizado com a finalidade de amenizar linhas de expressão, diminuir rugas e devolver os tônus muscular. Ele estimula a liberação do neurotransmissor acetilcolina que por sua vez, estimula os músculos da face, ocasionando um efeito tensor na pele.

Cada princípio ativo atuará de forma única no processo de regeneração tecidual, por isso, uma dica muito valiosa é trabalhar com a associação dos mesmos durante as sessões, para assim estimular tanto a recuperação dérmica e epidérmica, resultando em um antes e depois satisfatório.


Confira o protocolo sobre estrias clicando aqui.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar