Diferencie os tipos de hidratação e obtenha mais resultados

 em Artigos, Informativo

A proteção e manutenção da regulação hídrica são sem dúvida funções importantíssimas desempenhadas pela pele. Naturalmente as células produzem uma secreção denominada manto hidro-lipídico, que mantém o nível de água na superfície, ou seja, a hidratação cutânea. A hidratação é dada pela capacidade do estrato córneo de reter a água que se ingere, essa retenção pode ser encontrada de 10 a 30% na primeira camada da pele, enquanto nas camadas mais profundas encontra-se um nível de 70% a 80% de água. Se este conteúdo hídrico da camada córnea for menor que 10%, a pele será clinicamente caracterizada como pele desidratada, ou seja, sem água.

Quando jovem, a pele apresenta algumas características, tais como:  aspecto saudável, iluminado, elástico e firme. A partir dos 25 anos a quantidade de água das células começa a diminuir cerca de 1% ao ano e reduzindo em até 40% a partir dos 60 anos. Durante todo esse período algumas consequências ocorrem, como o aspecto de ressecamento cutâneo, áspero e grosseiro, a baixa eliminação de toxinas e o mau funcionamento de diversos órgãos.

A pele desidratada pode ter sua função de proteção comprometida, devido a um grau de embebição inferior ao normal, condição muitas vezes medida pelo clima, falta de cuidados diários, entre outros, que acabam acarretando o aspecto opaco, sem elasticidade, com tendência à descamação e suscetível a irritações. Portanto, evitar a desidratação é fundamental para garantir a saúde, o viço e o aspecto jovial da pele.

Para ter a pele hidratada em dia, além de ingerir a média 2 litros de água por dia, que é o recomendado, precisamos utilizar outros recursos que auxiliam nessa manutenção. Atualmente, no mercado da Estética, existem vários produtos de uso tópico que vão aumentar o nível de água na pele, a maciez, melhorar a textura e flexibilidade, além de criarem uma barreira protetora contra os agressores externos e a perda de água transepidermal. Nesses produtos tópicos, ou seja, cosméticos, é possível encontrar 3 mecanismos de ação principais para hidratar a pele, são eles:

Hidratação ativa: Princípios ativos que permeiam na camada córnea e ligam-se a moléculas de água desta região, desempenhando uma ação chamada higroscópica, diminuindo a perda de água transepidermal em toda a sua extensão. Alguns ativos que proporcionam a hidratação ativa são: os constituintes do NMF (ureia, PCA-Na, lactatos), Ácido Hialurônico, Colágeno e Silanol Trehalose (Aquaporina)

Hidratação Umectante: A função de um hidratante por umectação, é reter água na superfície da pele, seja ela proveniente da formulação, da atmosfera ou da água perdida da camada córnea. Umectantes presentes em formulações do tipo O/A possuem um efeito mais imediato enquanto formulações do tipo A/O possuem um efeito mais prolongado. Alguns agentes que possuem a propriedade de umectação são os hidrolisados de proteína animal ou vegetal, como a queratina; os polissacarídeos, como o ácido hialurônico e os derivados de algas ricos em mucilagem; além de vários glicóis, como a glicerina e o sorbitol, por terem a capacidade de formar pontes de hidrogênio. Com exceção dos glicóis, que podem ou não permear a camada córnea, os demais umectantes, devido ao seu alto peso molecular, permanecem apenas na superfície da pele, onde formam um filme hidrofílico. De maneira mais resumida os hidratantes umectantes mimetizam o manto hidrolipídico.

Hidratação Oclusiva: Cosméticos que agem por oclusão, formam um filme graxo superficial que impede fisicamente a perda de água para ao meio ambiente. A água fica retida entre o filme lipofílico (cosmético) e a camada córnea. Quanto mais semelhança houver entre a substância lipofílica e os componentes da secreção sebácea, melhor será o resultado. Dentre os ativos que atuam por oclusão estão: Ceramidas, Óleos vegetais e outros lipídios, como lanolina, vaselina e ceras. Podemos classificar também como oclusivos ou semi oclusivos os silicones e ativos que mimetizam os silicones, conhecidos como silicone like.

A hidratação é importante em qualquer idade, biótipo ou estado cutâneo.  Antes de iniciar qualquer tratamento, seja ele qual for, o ideal é avaliar a necessidade da pele para ver o nível de hidratação, pois se estiver comprometida, vai influenciar no resultado do tratamento sugerido para sua cliente, além de estimular um possível efeito rebote, como, produção de sebo, queratina /ou melanina em excesso.  Além do seu uso em cabine, o profissional deve orientar seu cliente quanto ao uso dos produtos hidratantes em casa, afinal, devemos manter a pele hidratada e saudável todos os dias.

Confira o protocolo “Reidratação para todos os tipos de pele” clicando aqui.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar