Muito além da Estética

 em Artigos, Informativo

Apesar de muitos associarem o segmento somente à beleza e vaidade, a profissão engloba aspectos capazes de interferir na saúde física e psicológica do indivíduo


Considerada uma das áreas mais promissoras do mercado, o setor da estética marca a história da humanidade, mas é apenas na Idade Moderna, mais precisamente no século XVII, que a área começa a ganhar visibilidade com a evolução do desenvolvimento de produtos cosméticos, graças, é claro, às evoluções tecnológicas e descobertas científicas.

Neste período, a cosmetologia passa a compreender os benefícios de utilizar ingredientes e princípios ativos na higienização da pele. Essa preocupação com a imagem e higiene pessoal, inclusive, era de grande importância, especialmente na Idade Média, já que devido à precariedade e desconhecimento, muitas doenças infecciosas tomavam grandes proporções.

Todavia, é na idade contemporânea que a Estética ganha destaque e promove sua consolidação no mercado. Em 1880, início do século XVIII, nasce, na França, o Instituto de Beleza – o primeiro do mundo -, fundado por Madame Lucas, que oferecia uma diversidade de técnicas estéticas, principalmente aquelas voltadas para procedimentos corporais.

Atualmente, com as maiores oportunidades para a realização de pesquisas e técnicas, fica ainda mais evidente que a estética e a saúde caminham juntas. Hoje, inclusive, é possível observar que a medicina alia muitos de seus tratamentos aos protocolos estéticos, como no caso de diástases e varizes.

Além destas disfunções, é possível também mencionar a acne, que pode ser desencadeada por fatores genéticos e hormonais. Quando persistente, é necessário combinar seu tratamento à rigorosa rotina home care, bem como acompanhamento ginecológico, dermatológico e endócrino.

Para atenuá-la, é possível também desenvolver procedimentos estéticos com ativos antissépticos, antibactericidas e que contribuem para o controle da oleosidade e processo acneico, tais como alphabisabolol, própolis e hamamélis.

As massagens corporais também não ficam de fora dessa! A Estética, além de muitas vezes associar suas técnicas de massagem à aromaterapia – que utiliza aromas para promover sensações e sucessivamente trazer benefícios terapêuticos -, compreende que cada protocolo aplicado traz uma infinidade de benefícios ao corpo do paciente.

É possível mencionar, por exemplo, o alívio de tensões e rigidez muscular, recuperação de estiramentos musculares e ligamentos, aumento da flexibilidade, melhora da oxigenação sanguínea e atuação no processo de desintoxicação do tecido cutâneo.

No caso da drenagem linfática, por exemplo, os benefícios são inúmeros, já que o protocolo reduz inchaços, elimina a retenção de líquidos, melhora o sistema cardiovascular e ajuda a ativar a circulação sanguínea.

Já os procedimentos associados à tricoterapia capilar contribuem não apenas para o bem-estar do paciente, mas ajudam a regular as disfunções presentes no couro cabeludo, atuando no controle direto da queda de cabelo, desequilíbrio hídrico da região e produção excessiva de sebo. Além disso, atua como coringa nos acompanhamentos e tratamentos dermatológicos de alergias e irritações severas do couro cabeludo.

A estética e a saúde caminham unidas. Juntas, atuam diretamente na melhora do bem-estar físico, psicológico e emocional de cada paciente. Muito além da beleza, a profissão está entrelaçada à ética e ao juramento à manutenção da saúde de cada indivíduo.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar