SAÚDE MENTAL EM TEMPOS DE PANDEMIA

 em Artigos, Canal de Saúde

Além da mudança na rotina, o coronavírus trouxe prejuízos para a saúde mental da população

Nesses últimos textos, abordamos alguns temas relacionados à saúde e bem-estar, principalmente da mulher. Hoje vamos falar sobre um assunto que afeta a todos: A saúde mental. 

Desde março o Brasil está em quarentena devido à chegada do novo coronavírus. Distanciamento social, mudança na rotina do trabalho (muitos agora estão em sistema Home Office), crianças estudando em casa, e um panorama de incertezas. De fato, a Covid-19 alterou profundamente nossa vida e a interação social.

E isso tem consequências. A psicóloga Silvia Rezende Azevedo explica que essas mudanças trazem impactos para a nossa mente. “O distanciamento social das pessoas na primeira onda da Covid trouxe sentimentos como solidão e desamparo intensificando as ruminações mentais e os pensamentos negativos, trazendo oscilação de humor constante”, diz a especialista em Terapia Comportamental Cognitiva, ressaltando que “o medo, a ansiedade, o estresse, as perdas, os lutos e a incerteza quanto ao futuro e a constante presença da finitude da vida fez crescer a desesperança e aumentando os estados ansiosos e depressivos”, complementa.

Essa onda de consequências psíquicas da pandemia é conhecida como 4ª onda. “Especialistas alertam que ela deverá se sobrepor às anteriores em relação a quantidade de casos de adoecimento com gravidade, pois um número alarmante de transtornos mentais, como os transtornos de ansiedade, depressão e o transtorno de estresse pós-traumático pode acometer as pessoas nos próximos meses podendo permanecer em crescimento por anos”, alerta Silvia.

Mas e como identificar os sinais de que a mente não está bem?

Silvia explica que muitas vezes vivemos no piloto automático e não percebemos os sinais que o nosso corpo mostra em relação ao adoecimento físico e mental. “Por esse motivo precisamos estar atentos e desenvolver a auto percepção e o autoconhecimento”, recomenda a profissional, que revela alguns desses sinais:

  • Alguns sinais como alteração do sono, aumento ou diminuição da vontade de se alimentar e mudanças de humor podem indicar que alguma coisa não está bem;
  • Sensação de cansaço presente no dia a dia e que persiste depois de um final de semana de descanso. Se por um lado o cansaço pode ser um sinal desse desgaste, por outro lado pode ser o indicar um adoecimento mais sério;
  • Sintomas como falta de motivação, energia e prazer em realizar atividades diárias, aumento da tristeza, estar sempre ansioso ou tenso.

Como prevenir e tratar esses transtornos e problemas?

De acordo com a profissional, precisamos estimular a “cultura do cuidado com a saúde mental”, ou seja, aprender a gerenciar o estresse evitando estados depressivos e o adoecimento psíquico.

A psicóloga também indica cuidar do sono, da alimentação, fazer exercícios físicos, meditar, utilizar a respiração diafragmática (sempre que sentir medo ou ansiedade), bem como fazer atividades prazerosas como cultivar plantas ou mesmo cozinhar para prevenir possíveis transtornos. 

“Quando você vive totalmente o momento presente, os pensamentos ruminantes param e a preocupação é substituída por uma calma. É por isso que, ao parar de se cobrar, culpar ou ruminar internamente, você costuma sentir que as coisas melhoraram”, explica Silvia.

Se você está com esses problemas, procure um profissional especializado. Só ele pode fazer o diagnóstico correto e indicar o melhor tratamento.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar